quinta-feira, 26 de maio de 2016

Prometeu, Pandora e Licáon - Parte 1

Olá leitores :)
Como prometido, hoje trago um pouco de mitologia. Estes mitos vão ser divididos entre três a quatro partes. Quero ver se posto cada parte, pelo menos, uma vez por semana.
Boa leitura.




Prometeu e Epimeteu eram dois filhos do Titã Jápeto e da ninfa do mar Clímene.
Prometeu, fazendo valer o seu nome, que traduzido do grego significa "espectativa agradável", era alguém que planeava o futuro. O nome do seu irmão, Epimeteu, significa "olhar para o passado". Apesar de Epimeteu ser bom a prestar atenção ao passado, esta dádiva não o ajudou na sua época de contrariedades. Este par de irmãos, apesar do significado dos deus nomes, não conseguiram viver uma vida feliz.
Sacrifício aos deuses
Após Zeus e os seus deuses terem destronado os Titãs, todos os deuses do poderosos Olimpo queriam que os seres humanos oferecessem sacrifícios de carne. O povo oferecia sacrifícios, conforme os festivais sagrados exigiam, com o objetivo de se alimentarem da carne sacrificada. Tanto os deuses como os humanos procuravam ficar com as melhores partes. Prometeu foi escolhido para cortar um animal para sacrifício para que Zeus pudesse escolher a metade que mais lhe agradasse e para decidir, para sempre, qual metade pertencia ao pai dos deuses e qual metade ficaria para os humanos.
Prometeu sempre quis ajudar a pobre humanidade e deve ter pensado que esta divisão de carne era injusta visto que os deuses nunca tinham tido qualquer trabalho. Por isso, cortou, com todo o cuidado, as carcaças e amontoou a carne comestível por baixo da pele, colocando o estômago por cima, pelo que todo o monte tinha um aspeto pouco apetitoso. Fez um outro monte com ossos cobertos com uma espessa camada de gordura do animal, dando a entender que parecia estar pronto para ser cozinhada para uma festa.
Zeus escolheu o monte de ossos e gordura. Ninguém sabe se ele foi enganado ou se fingiu, pois talvez ele tenha visto mais além, prevendo uma oportunidade de se vingar de toda a humanidade e do Titã Prometeu. De qualquer modo, mais nenhum animal foi sacrificado em nome de um deus e apenas ossos e gordura passaram a arder nos altares. Os deuses têm de se contentar com o cheiro da gordura enquanto que os humanos se banqueteiam com a carne.



Bibliografia:

Livro "Mitologia e lendas de todo o mundo".
Livro "Dicionário cultural da mitologia Greco-Romana".
 
 
Beijos,
-F
 
 

 
 

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Ando pelas ruas desta incerta cidade de Graça Pires


Olá caros leitores,
tanto eu como a Katra andamos desaparecidas por motivos pessoais. Ambas temos de estudar, a Katra na universidade e eu no secundário. O que é certo, é que ambas temos exames à porta. Pedimos desculpas pela demora de posts. Durante esta semana, no máximo, na próxima semana, irei postar um novo artigo sobre mitologia. Portanto, quem gosta de mitologia que fique atento ;)
 
 
Ando pelas ruas desta incerta cidade.
Deixo que o meu olhar
se ajuste ao olhar dos outros.
Entre ruas e rostos há fragmentos de solidão
que denunciam a trágica expressão da vida.
Todos conhecem a oralidade da mudez,
a vigília da revolta, a senha do desdém,
a estranheza de golpes imolando os sonhos.
Eu, com uma fala colada na língua,
somente me consinto
a áspera caligrafia do silêncio.
Graça Pires, in Uma claridade que cega
 
 
Beijos,
-F e Katra