quinta-feira, 17 de setembro de 2015

A Guerra com os Titãs e outras Dificuldades

Olá leitores, hoje trago mais um pouco de mitologia.
Espero que gostem.
 


    Alguns à partes para ajudar a entender melhor o texto:
 
 
Zeus.
 
-Zeus enquanto filho: No último post de mitologia explicava que Zeus era o filho mais novo e que todos os seus irmãos tinham sido engolidos por Crono, o seu pai. Crono era medroso e, por isso, engolia os seus filhos mal eles nasciam. Quando Zeus derrotou o seu pai, todos os seus irmãos voltaram a nascer do estômago de Crono. É por isso que o deus dos deuses é considerado como sendo, simultaneamente, o mais novo e o mais velho dos filhos de Reia e Crono.   
 
 

   Antes de qualquer problema da raça humana ter começado, Zeus teve de negociar com os seus irmãos. Casou com a irmã Hera, deu o domínio do fogo do lar a Héstia e atribuiu a Deméter a responsabilidade das cearas e da fertilidade do mundo. Zeus dividiu o reino do universo entre si, Posídon e Hades. Posídon ficou com o dominio dos oceanos. Zeus tornou-se o deus dos deuses. A Hades foi atribuído o subsolo, contudo, este não ficou satisfeito com a sua parte e, por isso, este aparece tão pouco nos mitos gregos. O deus do subsolo mantinha-se, nomalmente, afastado dos outros deuses que, por sua vez, não estavam interessados em visitar o reino de Hades.


Hades e o seu cão monstruoso Cérbero.



Pormenor de Zeus lançandos os seus Raios.
   Apenas quatro dos filhos de Gaia aceitaram Zeus como deus dos deuses. Os restantes entraram em guerra com os deuses do Olimpo e tudo indicava que iam ganhar exclusivamente pelo número. Zeus lembrou-se dos Gigantes de Cem Mãos e dos Ciclopes que continuavam aprisionados em Tártaro. Ofereceu-lhes a liberdade com a condição de os Gigantes lutarem ao lado dos deuses e dos Ciclopes forjarem uma arma a que nenhum deus, nenhum Titã e nenhum monstro pudesse resistir. Zeus não tardou a ter a sua arma pronta - os raios. Contudo, mesmo com esta ajuda, passaram dez anos até a guerra chegar ao fim e os inimigos do deus dos deuses serem aprisionados em Tártaro.


   A guerra contra os Titãs tinha terminado, mas Gaia estava zangada com Zeus por se ter apossado do poder dos outros filhos, pelo que gerou mais dois filhos, Tífon e Encélado - Gigantes de Mil Cabeças-, estes podiam respirar fogo e empilhar montanhas. Os deuses do Olimpo ficaram aterrados com estes monstros e lançaram-se em fuga para o Egipto, disfarçados de animais. Hades, para escapar à atenção de Tífon, cobiu-se com um elmo da invisibilidade feito exclusivamente para ele pelos Ciclopes. O gigante Tífon apanhou Dionísio (Baco) de surpresa nas margens do Nilo e o deus saltou para o rio, transformando-se de imediato numa criatura cujo corpo era parte cabra e outra peixe, a constelação capricórnio comemora este acontecimento. Afrodite e Eros disfarçaram-se de peixes, este acontecimento também é comemorado com uma constelação - esta pela constelação Peixes. Zeus, Pai de todos os deuses, disfarçou-se de carneiro. Este último foi o único que arranjou coragem para voltar e combater cada um dos gigantes com a sua nova arma, os raios. Quando os gigantes foram derrotados, Encélado continuou a respirar fogo, estremecendo na sua prisão sob o Monte Etna, o que faz com que este seja um vulcão ativo.  Sempre que este tenta libertar-se, a terra agita-se e cada vez que respira fogo a lava é lançada ao ar.


Curiosidade:

Gaia, a deusa da Terra.
-A Hipótese de Gaia: A ideia de que a Terra é uma deusa viva há muito que é rejeitada pela ciência e não teve qualquer interesse na evolução das ciências naturais. Porém, em 1979, James Lovelock publicou Gaia: Uma Nova Visão da Vida na Terra, um livro no qual demonstra algo parecido com a ideia de uma deusa natural da Terra. Por exemplo, ele avança com a hipótese de Gaia, segundo a qual tudo o que vive no planeta pode ser entendido como um organismo. Tal como os seres humanos regulam a temperatura do corpo, assim o planeta Terra parece regular a sua temperatura no valor adequado para que a vida continue a existir. A hipótese de Gaia fala de um planeta cuja superfície é propícia à vida tal como a deusa grega Gaia, a mãe e a protetora de toda a vida. 

 
 

 
Bibliografia:

Livro "Mitologia e lendas de todo o mundo".
Livro "Dicionário cultural da mitologia Greco-Romana".
 
 
 
Beijos,
-F