terça-feira, 22 de julho de 2014

Abaddon de Rui Madureira

 
Editor: Edium Editores
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 597
ISBN: 9789897011108
      

   Sinopse:      Sedento de poder e cegado pelo seu próprio orgulho, Lucifer - o primeiro anjo criado por Deus e o mais belo de toda a estirpe celestial - decide rebelar-se contra o Pai divino após a misteriosa e muito polémica criação do Homem. Persuadindo uma enormíssima falange de anjos guerreiros com as suas ideias de revolta e usurpação do trono divino, o primogénito dos anjos avança sobre as muralhas do imponente palácio de Deus com um vasto exército de anjos rebeldes nas suas costas. Porém, travado pelas brilhantes tácticas defensivas dos Arcanjos Michael, Gabriel, Raphael e Uriel, Lucifer acaba por tombar e ver os seus desígnios megalómanos cortados pela raiz, sendo aprisionado no Inferno para toda a eternidade conjuntamente com os seus seguidores. Os milénios passam, mas nem por isso o revoltado Príncipe dos anjos esquece a sua sede de vingança. Pretendendo desforrar-se do ser humano e do Pai que o deserdou, começa desde logo a arquitectar uma invasão ao reino do Homem com a ajuda do demónio Abaddon, a única criatura capaz de despoletar o Apocalipse em solo terrestre. E como tentativa desesperada de evitar o fim do mundo, Deus envia o Arcanjo Gabriel à Terra com a incumbência de liderar uma legião de guerreiros celestiais capaz de fazer frente ao Diabo e às suas hostes de monstros oriundos do Abismo. Poderá o Homem salvar-se no seu maior momento de provação? Ou sucumbirá para sempre ante as trevas orquestradas pelo colérico Rei do Inferno?


Breve opinião:

    Quando se começa a ler este romance de Rui Madureira ficamos completamente encantados com a maneira que o autor escreve e descreve tudo à volta das personagens. O romance está muito bem pensado, todas as ações interligam-se na perfeição. É uma leitura fácil, apesar do número de páginas que tem. O amor do autor pelo fantástico faz com que desperte o mesmo amor em nós. Quem ler Abaddon vai apaixonar-se completamente pelo sobrenatural! :3


                                                              Rui Madureira:

    Rui Madureira nasceu a 13 de Dezembro de 1985, uma sexta-feira treze que terá alimentado a enorme paixão que nutre pelo fantástico.
    Formou-se em Psicologia na Universidade do Porto. O cinema e a literatura, porém, foram desde sempre as suas grandes paixões. Foi colaborador da SciFiWorld Portugal e do Círculo de Críticos Online Portugueses. Atualmente escreve críticas de cinema para o Portal Cinema e textos de opinião para o jornal Maia Hoje, tendo algumas das suas críticas cinematográficas sido publicadas em revistas como a Première e a Fórum Estudante.
    Em 2013, foi membro do Júri da Secção Oficial de Cinema Fantástico do Fantasporto.
    Abaddon é o seu primeiro romance. Não será o único. Rui Madureira já está a pensar no segundo e é baseado num argumento cinematográfico que também escreveu.


Entrevista ao autor pelo blog Morrighan: http://www.branmorrighan.com/2012/11/entrevista-rui-madureira-escritor.html



-F
                                                   

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Anjo Caído de Lauren Kate

 
 
Editor: Editorial Planeta
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 328
ISBN: 9789896571252
 
Sinopse: Existe qualquer coisa de dolorosamente familiar em Daniel Grigori. Misterioso e distante, prende a atenção de Luce Price logo que o vê no primeiro dia de aulas no internato Sword & Cross, em Savannah. É a única coisa boa num lugar onde os telemóveis são proibidos, os outros estudantes são tramados e as câmaras de segurança vigiam todos os movimentos. Excepto uma coisa: Daniel não quer ter nada a ver com Luce e faz o possível para tornar isso muito claro. Mas ela não consegue desistir. Atraída para ele como uma borboleta para uma chama, Luce tem de descobrir o que Daniel, desesperado, tenta manter em segredo… mesmo que a mate. Perigoso, excitante e sombriamente romântico, Anjo Caído é uma apaixonante e perfeita história de amor.
 
 
 
Lauren Kate:
 


Lauren Kate cresceu em Dallas e começou a escrever em Nova Iorque. É autora de The Betrayal of Natalie Hargrove e vive neste momento em Los Angeles.


Website oficial:  http://laurenkatebooks.net/



-F

quarta-feira, 16 de julho de 2014

O Teorema de Katherine de John Green

Editor: Edições Asa
Edição/reimpressão:2014
Páginas: 272
ISBN: 9789892326337
 
Sinopse: Dezanove foram as vezes que Colin se apaixonou.
Das dezanove vezes a rapariga chamava-se Katherine.
Não Katie ou Kat, Kittie ou Cathy, e especialmente não Catherine, mas KATHERINE.
E das dezanove vezes, levou com os pés.
Desde que tinha idade suficiente para se sentir atraído por uma rapariga, Colin, ex-menino prodígio, talvez génio matemático, talvez não, doido por anagramas, saiu com dezanove Katherines. E todas o deixaram. Então ele decide inventar um teorema que prevê o resultado de qualquer relacionamento amoroso. E evitar, se possível, ter o coração novamente destroçado. Tudo isso no curso de um verão glorioso passado com o seu amigo Hassan a descobrir novos lugares, pessoas estranhas de todas as idades e raparigas especiais que têm a grande vantagem de não se chamarem Katherine.
 
 
 
 
John Green:

John Green é autor de vários bestsellers do The New York Times. Recebeu o Michael L. Printz Award e o Edgar Award. Foi por duas vezes finalista do L. A. Times Book Prize. Os seus livros foram traduzidos em mais de vinte línguas. John é também o cocriador, com o seu irmão Hank, do vlogbrothers, uma série de vídeos on-line que já foram visionados mais de 100 milhões de vezes.



                                                                                                                                                -F

terça-feira, 15 de julho de 2014

O Encantador de anjos de Kyle Gray

Boa tarde caros leitores secretos. Acabei de criar um cantinho para dar a conhecer novos livros. Este cantinho vai ter a denominação de Sugestões.  Quem quiser dar sugestões ou dar a sua opinião é só enviar para o nosso e-mail (leiturassecretas@gmail.com).  



                                                        Estou ansiosa para ler este livro ^-^
                  Editor: Pergaminho
                  Edição/reimpressão: 2014
                  Páginas: 208
                  ISBN: 9789896872304

Sinopse: Kyle Gray tem um dom. Desde os quatro anos que é abençoado com a presença dos anjos: consegue vê-los, ouvi-los e comunicar com eles. Foi graças à presença dos anjos na sua vida que conseguiu desenvolver os seus talentos e tornar-se o médium mais novo de Inglaterra, aos 16 anos. Neste livro intensamente pessoal, Kyle leva os leitores numa viagem emocionante e inspiradora pelo mundo dos anjos, e partilha a comovente história de como começou a comunicar com o Além, depois da morte da sua querida avó. Esta comunicação tornar-se-ia a sua vocação e o seu destino, e Kyle, hoje em dia, é conhecido pela incrível precisão das suas leituras mediúnicas e espíritas. Ao longo destas páginas, partilha também com o leitor: • Histórias verdadeiras de pessoas que Kyle ajudou, canalizando mensagens dos seus entes queridos;• Conselhos para comunicar com os espíritos; • Palavras de sabedoria dos anjos que irão mudar a maneira como encara a vida, a morte e o amor. O Encantador de Anjos é uma verdadeira dádiva dos céus, que lhe permitirá aceder a um nível mais elevado de ligação espiritual e usufruir ao máximo da presença das energias divinas na sua vida.



                                                                                                                                              -F



quinta-feira, 3 de julho de 2014

Um desabafo...

É apenas algo que me apeteceu escrever....
Não é como eu vejo o amor... Ainda não tive nenhuma desilusão amorosa para algo tão amargo...
Espero que gostem... :)


Amor!
O que fazer quando amamos alguém que não nos ama? O que fazer com o sentimento de rejeição que resulta disso?
Amar alguém é algo inútil, sem sentido que só serve para nos magoar.               A realidade é que se eu própria não amasse alguém, não acreditaria que o amor existe.
Paixão! Desejo! Estes sim são fáceis de entender, é algo instintivo, não exige compromisso e partilha da nossa alma. Uma pessoa que desejes não te pode nunca magoar pois não lhe deste esse poder.
Quando se ama existe a tendência de partilhar todo sobre nós incluindo os nossos pontos fracos e assim tornámos-nos vulneráveis à pessoa amada. Mas este não é o maior problema, o maior problema é que ao amarmos tornámos-nos também cegos perante os defeitos da pessoa amada, pelo menos no início.
Como podemos então confiar em quem amamos?
Eu aprendi da pior maneira que não podemos.
Tem muito cuidado a quem vais entregar o teu coração, pode não ser o príncipe encantado que esperaste a tua vida toda…
                                                                              - De alguém desiludido.



Comentem nem que seja para dizer que esta horrível!!!
-Katra

terça-feira, 1 de julho de 2014

A magia do Natal!! - Parte 4

Ola! Estou de volta!!
Eu sei, eu sei!! Demorei muito tempo mas foi um tempo bastante complicado para mim estive em época de exames e empanquei numa parte do conto e não conseguia sair de lá espero que gostem  e até à próxima parte. :)
Beijos.


- Nunca mais se atreva a falar assim da minha mãe. – Ele está realmente furioso levanta-se da cadeira de repente fazendo com que esta caía no chão com um estrondo que me faz estremecer. Os punhos dele estão cerrados ao longo do corpo e a sua cara está vermelha de fúria.
Olho para ele, receosa que perca o controlo e acabe por fazer algo que não deva, como tentar bater na minha mãe, que apesar de não ser a melhor pessoa do mundo continua a ser a minha mãe. Percebo que a minha irmã está de olhos arregalados a olhar para Christopher e com uma expressão que, suponho, é igual à minha.
- Oh! Claro que não! – Ironiza ela, as palavras saem-lhe um pouco enroladas por causa de todo o álcool que já tinha ingerido. Este comentário só piora ainda mais o estado de fúria de Christopher que, felizmente, saí pela porta fora em vez de tentar argumentar contra ela.
- É exatamente igual à mãe. – Comenta a minha mãe com asco na voz. – Um inútil!
 - Já chega! – Digo com firmeza.
- Tu também és uma inútil! – Diz, agora com raiva. – Porquê que deixaste este homem entrar em nossa casa? – A palavra “homem” foi prenunciada com ironia.
- Porque ele é meu pai e pai da Mimi.
- Tu e a tua irmã deixaram de ter pai à 14 anos. – Diz com clareza demais para quem estava bêbeda.
- O facto de o teres abandonado não altera o facto de ele ser nosso pai. – Digo calmamente pois sei que se me alterar ela vai usar isso contra mim, como sempre faz. Percebo que o meu pai está farto daquela discussão quando o ouço intervir:
- Eu tenho todo o direito de estar aqui! Podes ter impedido de ver as minhas filhas até agora mas não podes mais. A Marie já é maior de idade portanto já pode escolher se quer falar comigo ou não. Sobre a Mimi falamos depois de eu vir de almoçar. – Responde o meu pai. Levanta-se da cadeira e sai da casa, não olha nem uma vez para traz para verificar se estamos atrás dele e percebo que este é o momento que ele nos está a dar para escolhermos entre ficarmos com ele ou com a nossa mãe. Hesito um momento mas esse momento passa rapidamente. Se eu não for com ele a minha irmã não irá sozinha e eu não posso deixar que ela continue com esta vida. Levanto-me da minha cadeira, estendo a mão para Mimi que de imediato a alcança e saímos da casa.
 Christopher esta do lado de fora encostado as grades da escadaria à nossa espera.
- Desculpa. – Digo envergonhada.
- Pelo quê?
- Pelo que a minha mãe disse da tua. – Esclareço.
- Não és tu que tens um pedido de desculpas a fazer. – Diz. Posso notar que um pouco da raiva anterior volta-lhe para a voz e rapidamente me arrependo de ter voltado ao mesmo assunto. – Vamos?
- Sim. – Descemos as escadas e entramos num Mercedes alugado que esta parado a entrada do nosso prédio.
O meu pai leva-nos a comer ao restaurante mais caro em que eu já tinha estado. Não. Não pensem que é um de cinco estrelas em que os famosos comem. Na verdade, era bastante simples, mas uma vez que o único sítio que eu já tinha ido comer sem ser na minha casa e na escola foi o McDonald’s, então qualquer sítio parecia maravilhoso.
Durante todo o jantar eu, a minha irmã e o meu pai com partilhamos várias coisas sobre a nossa vida atual: momentos engraçados que tenhamos vivido, a nossa rotina, experiências não tão boas… Christopher quase não falou durante a refeição, acho que nos estava a dar tempo para nos atualizarmos uns com os outros, não que fosse possível recuperar 14 anos das nossas vidas em apenas umas horas mas nós tentámos porque queríamos que fosse possível.
No final do almoço o meu pai diz:
- Eu e a Mimi vamos falar com a vossa mãe. Tu e o Chris dêem uma volta por ai. Quando for para ir embora eu ligo-vos.
- Não, pai. Eu vou com vocês! – Digo.
- É melhor se apenas eu e a tua irmã formos, quanto mais gente for falar com a tua mãe mais espetáculo ela dá e eu preciso que ela aceite que eu fique com a guarda da tua irmã. – Explica. Olho-o sética.
- Como é que esperas fazer esse milagre?
- Eu tenho alguns argumentos bastante convincentes dos quais a tua mãe ainda não pensou. – Diz sorrindo levemente para mim. Lentamente começo a acreditar que, dentro de pouco tempo, tudo vai ficar bem. A minha irmã vai ter as oportunidades que eu não tive e eu vou ter oportunidades de fazer coisas que já tinha desistido de imaginar que algum dia faria.
- Pai?
- Sim?
- Realmente trais-te a mãe com a mãe do Christopher? – Sinto Christopher ficar tenso ao meu lado mas tento ignorar, eu preciso da resposta àquela pergunta porque que a imagem que eu tenho do meu pai não corresponde à de alguém capaz de trair mesmo que amasse muito a mãe de Christopher.
- Não. – Responde e eu sinto-me mais aliviada do que estava preparada para admitir e sinto Christopher relaxar. – Eu já a amava mas nós não nos envolvemos antes de eu e a tua mãe estarmos oficialmente divorciados.
- Então porquê que a mãe acha que sim? – Pergunta Mimi.
- Não sei. – Diz suspirando. – A vossa mãe sempre foi uma mulher muito ciumenta. Vocês não se lembram mas a Margarida ficou viúva dois dias depois de o Christopher nascer. – Conta ele com um olhar distante, aquele olhar que toda a gente tem quando se lembra do passado. – Ela era mulher do meu melhor amigo e eu sempre pensei que ele tinha muita sorte por se ter casado com ela pois é uma grande mulher. Um dia, quando eu e a vossa mãe já namorávamos a mais de um ano, cometi o erro de revelar estes pensamentos à vossa mãe. – Continua ele com um sorriso amargo. – Ela nunca mais falou com a Margarida como antes, uma vez, chegou mesmo a trata-la mal.
Eu e a minha irmã olhamos uma para a outra desgostosas com as atitudes da nossa mãe.

- Depois de o marido ter morrido, eu e a vossa mãe, por insistência minha, começamos a visitar Margarida com maior frequência. A partir desse momento o ciúme da vossa mãe tornou-se impossível de aguentar mas eu continuei com ela pois achava que a amava. Pouco a pouco comecei a passar mais tempo com Margarida do que com a vossa mãe, o que deixava mais tempo para a vossa mãe pensar e ouvir a vossa avó que adorava meter bichinhos na cabeça dela para que ela fosse embora. A vossa avó sempre odiou a vossa mãe. Isabel não era de uma família rica como a minha mãe queria que eu casa-se. E provavelmente foi ela que, finalmente, conseguiu convencer a vossa mãe de que eu tinha um caso com Margarida.



Comentem por favor!!!! =D
- Katra