terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Planos para 2015

Olá leitores secretos decidimos fazer um post misturando planos pessoais e literários em 2015 :D




Acho que como todos os bons leitores a meta para 2015 é ler mais e pagar menos! Como tal, proponho-me a ler mais livros em formato digital.
Como já ando a prometer à muito que vou mudar as minhas leituras, vou ter de começar a variar um pouco. É este o ano em que começo a ler FC (se a preguiça não for muita)! Há um livro ou outro que, pelas sinopses, fiquei interessada. Aceito sugestões nesta área, visto que não é o meu forte ;)
Também prometo que, já em Janeiro, trago a minha opinião sobre o livro O Renascer das Chamas da autora portuguesa Susana Almeida. Estou ansiosa de que o livro chegue para o ler!
 Quanto ao blog vou continuar com a mitologia pois quero variar nos tópicos do blog e embrenhar cada vez mais as pessoas em outras culturas.
Vou tentar postar mais pois é raro eu postar quando não estou de férias.
Vou variar um pouco na poesia, vou tentar dar a conhecer poetas não tão falados e quase desconhecidos.
Quanto à história que comecei a escrever (Letal) vou tentar terminá-la este ano e tentar postar aqui :)
Agora, o mais difícil são as minhas metas pessoais! Neste patamar, vou TENTAR ter mais paciência (tenho muita pouca) com todos e tentar controlar o meu mau humor diário (principalmente logo pela manhã).
E vou tentar oferecer mais à sociedade com o meu empenho e ajuda, quem sabe se não mudo algo?
E como sempre, não há metas sem esforço e apoio. Como tal, quero agradecer a algumas pessoas que me apoiam e que me dão ideias para continuar a postar e a trabalhar como quero. Claro está que algumas dessas pessoas são membros da minha família e outros são amigos, nomeadamente a Daniela pelas suas maluqueiras, a Bela pelo apoio e pelas suas avaliações sobre o que escrevo, a Tina pelas suas ideias mirabolantes e, também, pelas suas ótimas opiniões sobre o que escrevo e, por fim, o Fiacha pelo que ele me ajuda :)
Desejo-vos um excelente 2015 meus caros leitores.

Beijos,

-F


Bom... Acho que é melhor começar com os planos pessoais uma vez que estes são mais extensos :-)
Para 2015 vou tentar ser menos teimosa uma vez que este é, o que eu considero, o meu pior defeito (apesar de o orgulho estar bastante próximo, mas é melhor não abusar e tentar um de cada vez :-D), vou tentar terminar o meu primeiro ano de universidade com todas as cadeiras feitas, vou é ter que começar a rezar pelo primeiro semestre :-D. Vou tentar fazer mais as coisas que gosto (ler e escrever por exemplo), vou tentar começar a escrever os meus contos e histórias diretamente no PC para poupar tempo(mesmo a odiar escrever no PC).
Acho que é tudo a nível pessoal vamos, então, passar a parte literária... :-D
Para 2015 vou tentar finalmente postar o monte de contos escritos a mão que andam espalhados cá em casa... Vou tentar terminar as histórias que comecei (tipo, "tudo que perdi"), vou tentar pôr em dia os livros que tenho andado a adiar ler por falta de tempo, sendo um deles," Orgulho e Preconceito" de Jane Austen, e claro vou tentar arranjar mais tempo para dedicar ao blog... A uns tempos que ando a pensar numa coisa para vos por, a vocês leitores, a participar mais no blogue mas é apenas uma ideia abstrata logo não vou adiantar mais detalhes....
Os meus agradecimentos vão para toda a minha família por me aturar... Para a Marta que também me tem aturado muito agora que eu não estou própriamente a viver na casa dos meus pais, a Mariana que é a minha melhor amiga e a F porquê foi ela que criou a oportunidade de eu poder postar os meus contos para que mais pessoas os podessem ler para além dela... :-D

Obrigado por fazem parte do meu ano e boas entradas!! :-D

Beijos,
- Katra 

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

As minhas leituras já não tão secretas de dezembro

Olá caros leitores :)
Ando um pouco atrasada nos posts mas vamos lá ver se isto muda :D
A proposta deste mês com uma imagem feita por mim :) :
 
1º - Beijo das Sombras de Laurell K. Hamilton
2º - Trocada de Amanda Hocking
3º - Gente Vazia de Brian Keaney
4º - Wicked Lovely - Tatuagem de Melissa Marr
5º - Acasos do Amor de Juliette Fay
6º - Sangue Fresco de Charlaine Harris
7º - Um Mar de Rosas de Nora Roberts
8º - O Perfume - História de um assassino de Patrick Suskind


Já li quatro destas maravilhas e adorei! Este é o meu conselho para as leituras deste mês :D
Quais são os livros que vão ler este mês?



Beijos,
 
-F



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Gaia e Úrano

Olá caros leitores secretos ;)
Já à algum tempo que ando com uma ideia de criar um cantinho para mitologia e aqui está! :D
A sequência de histórias que vou utilizar aqui no blog é a mesma que a do livro "Mitologia: mitos e lendas de todo o mundo". É um dos livros em que tenho feito pesquisa sobre estes asuntos e está muito bem estruturado, daí o seguir a sequência dele.
Espero que gostem e apreciem um dos mais misteriosos temas :D
Primeiro irei tratar da mitologia greco-romana e, como tal, entre parênteses vai conter o nome correspondente de alguns deuses Gregos em romano.

Alguns à partes para ajudar a entender melhor o texto:

-Tártaro:
Na mitologia grega, o Tártaro é personificado por um dos deuses primordiais, nascidos a partir do Caos. As relações de Tártaro com Gaia geraram as mais terríveis bestas da mitologia grega, entre elas o poderoso Tifão.
Da mesma forma que Gaia é a personificação da Terra e Úrano a personificação do Céu, Tártaro é a personificação do Mundo Inferior. Nele são encantradas as cavernas mais profundas e os cantos mais obscuros do reino de Hades, o mundo dos mortos, para onde todos os inimigos do Olimpo são enviados e onde são castigados pelos seus crimes.
 
-Árvore genealógica dos deuses Gregos:
 



Os antigos Gregos consideravam a deusa Gaia, mãe da Terra, como a que deu vida e alimentos aos seus filhos. Gaia tinha múltiplos filhos. Da união de Gaia com o filho Úrano (Urano), deus do céu, nasceu uma linhagem de deuses intitulados por Titãs. Oceano era o deus Titã do grande rio oceânico que para sempre envolverá o mundo, e Tétis a sua irmã esposa. O deus Titã Hiperíon (primeiro deus do sol) e a irmã e esposa era Teia. Ceo e Febe (deusa da Lua), Crono (Saturno) e Reia (Cíbele), Crio, Jápeto, Témis e Mnemósine, completam os restantes doze Titãs. Gaia também gerou os Gigantes de Cem Mãos e os Ciclopes (gigantes que tinham um só olho no meio da testa). Ela tinha muitos netos, incluindo as Três Parcas, as nove Musas e os dois jovens Titãs, Prometeu e Epimeteu.

Cronos a castrar Úrano
Úrano não permitia que os filhos vissem a luz do dia porque tinha medo do poder que eles tinham. Talvez fosse prudente em relação à história da família: Caos destronado pelo filho Érebo e depois este pelos próprios filhos. Embora Úrano reinasse em todos os céus, os filhos e as filhas eram forçados a ficarem no subsolo, acorrentados na escuridão da caverna de Tártaro. Gaia enfureceu-se com o marido e encorajou os filhos a conspirarem contra ele. O filho mais novo, Crono, proclamou-se rei do mundo após atacar e castrar Úrano com uma foice. Atirou os órgãos genitais decepados ao oceano e, no sítio onde caíram, formou-se uma espuma da qual surgiu Afrodite (Vénus), a bela deusa do desejo sexual e do amor. Algumas gotas de sangue de Úrano caíram no solo, e delas nasceram as Erínias, Fúrias que atormentam o espírito dos criminosos.
 
 
Bibliografia:
Livro "Mitologia: mitos e lendas de todo o mundo"
Livro "Dicionário de Mitologia Grega e Romana" de .
http://www.infoescola.com/mitologia-grega/tartaro-mitologia/ 
-F

P.S.: Cliquem em cima das imagens para uma melhor visualização, principalmente a da árvore genealógica!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Dia das Bruxas

Olá caros leitores. Como sempre gostei do Dia das Bruxas, decidi por alguma coisa sobre esta ocasião. Ainda falta uns quantos dias, mas como hoje tive tempo decidi postar já ;)
Espero que gostem :D



Festejamos o Dia das Bruxas a 31 de outubro. Esta ocasião é originária da Irlanda. Os povos celtas acreditavam que, na véspera do Dia de Todos os Santos, os espíritos voltavam para as suas casas.

O Halloween foi levado para os Estados Unidos pelos colonizadores. É, hoje em dia, uma das mais populares festas nesse mesmo país. Fantasiados, as crianças (e alguns adultos) percorrem a vizinhança repetindo a frase “Trick or Treat?” e recebem doces.

Há várias lendas sobre este dia, tais como, o Cavaleiro sem cabeça, Vlad o Empalador, Slender Man e Jack O’Lantern (a lanterna de Jack).

Jack O’Lantern (a lanterna de Jack):
 

Geralmente, no dia 31 de outubro, o que mais se vê são abóboras com uma vela acesa. Essas abóboras são chamadas de Jack O’Lantern.

Reza a lenda que no dia 31 de outubro, um homem chamado Jack, um alcoólatra, bebeu excessivamente e como castigo pelos seus pecados, o Diabo veio buscar a sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o Diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o seu último copo de bebida, então ele pediu ao Diabo para transformar-se em moeda. O Diabo assim fez. Jack mal vê a moeda sobre a mesa, rapidamente guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz.

Na noite de 31 de Outubro, do ano seguinte Jack estava voltando para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre fora, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O Diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o Diabo nunca mais tente pegar a sua alma. O Diabo aceita e Jack o liberta da árvore.

Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre e vai para céu, mas a sua entrada é negada por S.Pedro. Sem alternativa, Jack vai para o inferno. O Diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite a entrada de Jack. Mas, com pena da alma perdida, o Diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo Limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando pelo Limbo.

 

Vlad Tepes III (Vlad, o Empalador):
 

O pai de Vlad III, Vlad II, era membro de uma ordem cristã ocidental chamada Ordem dos Dragões, criada por nobres da região para defender o território da invasão dos turcos. Por isso, Vlad II era chamado de Dracul – (dragão no português) – e, por consequência, seu filho passou a ser chamado Draculea (filho do dragão). A palavra “dracul”, entretanto, possuía um segundo significado (“diabo”) que foi aplicado aos membros da família Tepes por seus inimigos e possivelmente também por camponeses supersticiosos.

Vlad III era conhecido por sua crueldade. Um dia, dois súditos se esqueceram de tirar o chapéu para reverenciar o príncipe, foi por esse motivo que Vlad mandou pregar o chapéu em suas cabeças. Algumas lendas dizem que um dia Vlad viu um aldeão com a camisa toda suja e lhe perguntou se sua esposa era saudável. O aldeão respondeu que sim e sua mulher teve ambas as mãos decepadas, e Vlad arrumou outra esposa para o aldeão e a mostrou o que acontecera com a antiga para que servisse de exemplo. Vlad tinha costume em comer em frente de suas vítimas com os corpos empalados ouvindo seus gritos de agonia.

Muitas dessas histórias e lendas levam a crer que Vlad III seja Conde Drácula. Além disso, a cultura popular também colocou no conhecimento comum referências da Transilvânia, da Romênia e do nome Vlad à cultura do vampirismo moderno.

Já a crença de que Drácula é um morto-vivo meio zumbi nasceu de um facto pitoresco: em uma batalha, o Príncipe Vlad teria levado um golpe na cabeça, que o deixou em coma; alguns dias depois ele teria acordado como se nada tivesse ocorrido e voltou para o campo lutar contra os muçulmanos junto aos seus soldados.

 

Slender Man:
 


O Slender Man tem a aparência de um homem alto e pálido com braços e pernas extremamente longos. Ele também pode conter de quatro a oito longos tentáculos negros que saem das suas costas, embora entusiastas discordem sobre esse facto, algumas pessoas dizem que ele pode “contrair” estes tentáculos de acordo com a sua vontade.

Ele é descrito usando um fato preto muito parecido com os dos Homens de Preto (que também são uma lenda urbana) e, como o nome sugere, aparece muito magro e capaz de esticar os seus membros e o seu tronco para comprimentos desumanos a fim de colocar medo e seduzir as suas vítimas.
Uma vez que os seus braços estão estendidos, suas vítimas são colocados em uma espécie de estado hipnótico, onde essas pessoas ficam sem qualquer reação. 
Seu rosto é pálido e um pouco fantasmagórico. Seu rosto também é objeto de debate, algumas histórias dizem que ele pode mudar a própria face.
Normalmente as vítimas sonham com ele uma noite antes de misteriosamente desaparecerem.

 

O Cavaleiro sem Cabeça:

 
A sua lenda surgiu na Irlanda, onde era conhecido por ser uma mistura de homem e espírito, sem cabeça que era geralmente visto montando um cavalo negro, carregando sua cabeça em baixo de seu braço. Os olhos da cabeça são enormes, a boca está com um constante sorriso que vai de um lado a outro de sua terrível face.

A carne da cabeça tem a textura e o cheiro de um cadáver, é realmente assustadora assim como seu chicote de costelas humanas. Algumas lendas dizem que ele colocava velas dentro de crânios humanos ou em histórias mais modernas em abóboras ou em nabos) para iluminar seu caminho. Partes de seus ossos como das coxas foram perfurados. Ele guarda machados e espadas que consegue tirar das suas vítimas decapitadas.

Algumas pessoas já relataram o estranho ser espectral também dirigindo uma carroça, quando esta é também feita de restos humanos. Uma lenda diz que quando o cavalo do Cavaleiro Sem Cabeça para de correr, uma pessoa irá morrer. A cabeça dele grita o seu nome e, então, a vítima é decapitada.

Bibliografia

O que desejo fazer neste halloween:


                
 
 
 
 
 
                                                                                                                                            -F

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Floresce na sombra do meu peito de Fernando Pessoa

Floresce na  sombra do meu peito,
Vermelha flor de Deus, meu coração...
Suas pe’talas de eu sentir tem jeito
De ter a cor da minha sensação...
Arranquem-mo: é vermelho, e o seu efeito
De existir é esta vida, a confusão
De bem e mal que no meu ser eleito
De brumas faz  e invasão.
E essa vermelha flor de Deus, meu coração,
Que na sombra floresce e no mistério
Entrega, vibração a vibração,
Seu  ao  sidério
Que a espreita do silêncio da amplidão.
                           *
                         
Lírios... Meu nome é sombra nos teus olhos...
Não pertenço senão a não ser teu...
A barca do meu ser tem seus escolhos
No teu silêncio leve como um véu...
                           *
A cor do teu olhar está longe, muito longe...
Como o teu gesto poeira parada no ar
Dentro de mim... E a Hora nunca é de Hoje
Para quem não consegue imaginar.
Leves teus dedos sobre o alvo teclado
Que eu sonho sob seu gesto alado e leve,
Pianíssimo reflectem o sagrado
Anseio que eu encontro ao que esteve
Sempre àquem do meu ócio perfumado.
                           *

As minhas sensações vestem de preto
Seu luto e pela dor de eu mal as ter...
Conservo o tédio, como um   secreto
E afirmo à sombra a luz do meu viver.
                           *

Deus, girassol de assombro e pensamento
Alto e ouro floresceu no meu jardim...
Por quantas alamedas passa o vento
Chorando não lhes encontrar um fim?
                           *

Ah, abertas as portas! E o lamento
Do meu cansado coração, afim
A tu seres o nexo poeirento
Entre o meu horizonte E  mim.
                          *

O reflexo vão da sua sombra vai
Pôr cortinas de seda em minha mente...
Medievais as rosas vitralmente...
Cavaleiros andantes sossegai
Vossa dor barco à  da corrente!
Flor murchando, verdadeiramente.

 espaço deixado em branco pelo autor

3 - 1 - 1915

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
 
 
 
-F 

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A rapariga que roubava livros de Markus Zusak




Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 463
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722339070
Coleção: Grandes Narrativas


Sinopse: Plano Nacional de LeituraLivro recomendado para o 9º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada - Grau de Dificuldade II.

Quando a morte nos conta uma história temos todo o interesse em escutá-la. Assumindo o papel de narrador em A Rapariga Que Roubava Livros, vamos ao seu encontro na Alemanha, por ocasião da segunda guerra mundial, onde ela tem uma função muito activa na recolha de almas vítimas do conflito. E é por esta altura que se cruza pela segunda vez com Liesel, uma menina de nove anos de idade, entregue para adopção, que já tinha passado pelos olhos da morte no funeral do seu pequeno irmão. Foi aí que Liesel roubou o seu primeiro livro, o primeiro de muitos pelos quais se apaixonará e que a ajudarão a superar as dificuldades da vida, dando um sentido à sua existência. Quando o roubou, ainda não sabia ler, será com a ajuda do seu pai, um perfeito intérprete de acordeão que passará a saber percorrer o caminho das letras, exorcizando fantasmas do passado. Ao longo dos anos, Liesel continuará a dedicar-se à prática de roubar livros e a encontrar-se com a morte, que irá sempre utilizar um registo pouco sentimental embora humano e poético, atraindo a atenção de quem a lê para cada frase, cada sentido, cada palavra. Um livro soberbo que prima pela originalidade e que nos devolve um outro olhar sobre os dias da guerra no coração da Alemanha e acima de tudo pelo amor à literatura.


Críticas de imprensa:

"Zusak não só cria uma história original e enfeitiçante, como escreve com poesia… Uma narrativa extraordinária."
School Library Journal

"Uma narrativa absorvente e marcante."
Washington Post

"Uma história poderosa."
Booklist

"Brilhante… É um daqueles livros que podem mudar a nossa vida…"
New York Times

"Perturbador e poético ao mesmo tempo…Parece bem colocado para se tornar um clássico."
USA Today

"Elegante, filosófico e comovente… Belo e importante."
Kirkus Reviews

"Um feito… um livro que é um desafio…"
Publisher’s Weekly

"Inquietante, desafiante, triunfante e trágico… Um livro de grande fôlego, escrito de forma soberba… É impossível parar de o ler."
Guardian

"Um livro extraordinário, marcante, de grande beleza."
Sunday Telegraph

"Aos trinta anos, Zusak escreveu um dos livros australianos mais invulgares e cativantes de sempre."
The Age (Austrália)




Um pequeno excerto:

Sopro ar quente para as mãos, para as aquecer.
Mas é difícil mantê-las quentes quando as almas continuam a tremer de frio.
Deus.
Digo sempre esse nome quando penso naquilo.
Deus.
Pronuncio-o duas vezes.
Digo sempre o Seu nome numa tentativa vã de compreender. «Mas o teu trabalho não é compreender.» Sou eu mesma que respondo. Deus nunca diz nada. Pensam que são os únicos a qual ele nunca responde? «O teu trabalho é...» E deixou de me ouvir, porque, para falar francamente, eu canso-me a mim própria. Quando começo a pensar assim fico tão exausta, e não me posso dar ao luxo de ceder à fadiga. Sou obrigada a continuar porque, embora isso não seja verdade para toda a gente na terra, é verdade para a grande maioria - a morte não espera por ninguém - e se o faz, em geral não espera muito tempo.

Breve opinião:

É-me um bocado difícil expressar o quanto adorei este livro, simplesmente não tenho palavras! Este livro fascinou-me completamente. Não só pela maneira como a Morte expõe as suas lembranças aos leitores, mas também pelo encanto de Liesel. Adorei, sobretudo, a amizade que Liesel tem com Rudy.
Pela amizade deles, sabe-se que podemos ter as maiores pancas que teremos sempre alguém que não se afaste de nós e que nos aceita como pessoas.
Como deu para perceber, acabamos por simpatizar com Liesel, Rudy e o judeu Max. É uma história  em que sofremos com cada personagem presente. A sua história é contada de uma maneira agradável, mas que por vezes trás um pouco de sofrimento.
Quanto ao tipo de escrita, é fluida e sem momento mortos. É uma história vibrante que nos prende junto às suas maravilhosas páginas.




Trailer do filme:







-F

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

A espantosa realidade das coisas de Alberto Caeiro

Boa noite,
venho cá postar mais um poema para a coleção ;)


A espantosa realidade das coisas
É a minha descoberta de todos os dias.
Cada coisa é o que é,
E é difícil explicar a alguém quanto isso me alegra,
E quanto isso me basta.

Basta existir para se ser completo.

Tenho escrito bastantes poemas.
Hei de escrever muitos mais, naturalmente.

Cada poema meu diz isto,
E todos os meus poemas são diferentes,
Porque cada cousa que há é uma maneira de dizer isto.

Às vezes ponho-me a olhar para uma pedra.
Não me ponho a pensar se ela sente.
Não me perco a chamar-lhe minha irmã.
Mas gosto dela por ela ser uma pedra,
Gosto dela porque ela não sente nada.
Gosto dela porque ela não tem parentesco nenhum comigo.

Outras vezes oiço passar o vento,
E acho que só para ouvir passar o vento vale a pena ter nascido.
Eu não sei o que é que os outros pensarão lendo isto;
Mas acho que isto deve estar bem porque o penso sem esforço,
Nem ideia de outras pessoas a ouvir-me pensar;
Porque o penso sem pensamentos
Porque o digo como as minhas palavras o dizem.
Uma vez chamaram-me poeta materialista,
E eu admirei-me, porque não julgava
Que se me pudesse chamar qualquer cousa.
Eu nem sequer sou poeta: vejo.
Se o que escrevo tem valor, não sou eu que o tenho:
O valor está ali, nos meus versos.
Tudo isso é absolutamente independente da minha vontade.

In Poemas Inconjuntos


In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Fernando Cabral Martins, Richard Zenith, 2001
 
 
 
 
 
 
 
-F

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Eterna Mágoa de Augusto dos Anjos

Boa noite :)
Como a poesia é uma arte e faz parte de tudo o que tem a ver com letras, aqui vos trago um poema :)


O homem por sobre quem caiu a praga
Da tristeza do mundo, o homem que é triste
Para todos os séculos existe
E nunca mais o seu pesar se apaga!

Não crê em nada, pois, nada há que traga
Consolo à Mágoa, a que só ele assiste.
Quer resisitir, e quanto mais resiste
Mais se lhe aumenta e se lhe afunda a chaga

Sabe que sofre, mas o que não sabe
É que essa mágoa infinda assim, não cabe
Na sua vida, é que essa mágoa infinda

Transpõe a vida do seu corpo inerme;
E quando esse homem se transforma em verme
É essa mágoa que o acompanha ainda!






-F

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Os 10 livros que mais gostei

Olá leitores secretos :)
Ora bem, este post foi sugerido (mais uma vez ^-^) pelo Fiacha.
Vou passar a minha lista, apesar de ser um pouco difícil, por menos para mim, reduzir a dez livros preferidos!

1 - Hush, hush de Becca Fitzpatrick
2 - A maldição do Tigre de Colleen Houck
3 - Anjo Caído de Lauren Kate
4 - Anjos Mecânico de Cassandra Clare
5 - A rapariga que roubava livros de Markus Zusak
6 - O Inferno de Gabriel de Sylvain Reinard
7 - Vampire Kisses de Ellen Schreiber
8 - A metamorfose de Franz Kafka
9 - A culpa é das estrelas de John Green
10 - Utopia de Thomas Morus





-F

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Letal - Prólogo

Olá leitores secretos :)
Vou começar a publicar esta história chamada Letal. Posso demorar algum tempo a publicar os capítulos, ainda tenho algumas coisas a fazer, para não falar das aulas que estão prestes a começar, mas para já fiquem com este pequeno prólogo :)
Espero que gostem e boa leitura! :)



25/07/2013

 

“Toda a gente já pensou em matar alguém, certo? Todos os passos que deveriam de dar, certo? Então, porque quando chegam ao acto não conseguem? Eu tenho a resposta! Isso é porque são fracos! Não têm a coragem para matar só porque a sociedade não ia aceitar uma peripécia dessas, chamavam-me de louca e assassina depravada, enfim. Não seria mais fácil não sentirem o peso da sociedade? Vá, até o mais santo dos sacerdotes já pensou em matar alguém! Quem nunca sonhou em matar o patrão chato com um agrafador, ou um colega de trabalho com uma simples caneta, ou até mesmo os tr…”

-Trish! Já chega de rabiscares nesse bocado de papel querida. – Kimberly chamou pela sua melhor amiga. – Tens de viver mais, em vez de andares a escrever o que um psicopata acha sobre as pessoas!

-Kim tenho de entender! – Berrou Trish quase a começar um pranto. – Tenho de saber como um assassino em série funciona… Eu preciso…

-Está decidido! Vou internar-te num hospício se não deitares essa porcaria ao lixo! – Exasperou Kimberly forçando-se a aproximar-se da amiga.

Trish farta daquela conversa, levantou-se da cadeira, pegou no casaco e na folha de papel. – Onde vais? – Kim agarrou o braço da sua amiga para a fazer olhar para si. – Nem penses armar-te em Sherlock Holmes à procura de um assassino!

-Eu é que sei o que faço da minha vida! Sou maior e vacinada! – Trish libertou-se e bateu com força a porta, na saída.
 
Então? Gostaram? Gostava que apontassem os lados negativos e positivos para eu poder melhorar :)




-F
 
P.S.: Gostaram do novo design do blog?


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Livro físico vs livro digital

Olá, o tema de hoje foi sugerido pelo Fiacha. Por isso, muito obrigado pelo tema :) Já agora toca a visitar o blog dele (Leituras do Fiacha - O Corvo Negro).
A Katra e eu decidimos fazer este post em conjunto :)
Eu vou fazer a parte do livro físico enquanto a Katra vai fazer sobre os livros digitais :)


Pessoalmente prefiro um livro físico do que um livro digital. No inverno, quando as gordas gotas da pesada chuva está a bater freneticamente na janela do meu quarto e enquanto estou enroscada numa manta a ler um livro físico dá-me uma imensa satisfação. Gosto de sentir o peso de cada livro nas minhas mãos enquanto o folhei-o e imagino as cenas descritas.
Contudo, nos livros nem tudo é mágico. Muitas das vezes o livro não é  tão bom como esperamos ou não dá tanta satisfação de o ler, além do preço que cada livro tem! Outro dos problemas é que se adorarmos realmente o livro e ele tiver continuação vamos querer comprar o seguinte e assim por diante. Para mim, no que é melhor nesse aspeto é o livro digital.


Não há nada melhor que os livros. Na minha opinião foram das melhores invenções do Homem, primeiro com o livro físico e atualmente com o livro digital.
Eu, diferente da minha colega, prefiro o livro digital por razões muito práticas. São mais baratos, logo podemos adquirir uma maior quantidade (e para alguém que é totalmente viciada em ler como eu, isso conta muito =D ). Outra razão é ser muito mais fácil transporta-los, quando quero levar um livro comigo para algum lado, simplesmente passo-o para o meu telemóvel. Simples e sem peso extra na minha mala. :)
Claro que nem tudo é bom, muita gente fica com os olhos muito cansados de ler no PC ou no telemóvel, por exemplo.


-F e -Katra

"O futuro está já ali" - concurso da Pastelaria Studios

Olá caros leitores :)
Vou participar no novo concurso da Pastelaria Studios chamado "O futuro está já ali".
Então como eu sei que muitos de vós também ama escrever, eu pensei divulgar aqui o concurso. Espero que participem!
Para ver o regulamento acedam aqui: O futuro está já ali
Beijos e boa sorte ;)


-F

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Liebster Award

Hello :)
Fomos nomeadas para um prémio chamado Liebster Award :) Fomos nomeadas pela Patrícia Ferreira do blog Love Peace and Write! Muito obrigado menina!

Para participares basta fazer o seguinte:

Colocar o prémio (imagem) no teu blog;


Tens de responder às 11 questões que o blogger que te nomeou colocou;
Tens de nomear entre 4 a 11 blogs com menos de 200 seguidores e dar-lhes 11 questões da tua autoria;
Não podes nomear o blogger que te nomeou;
Tens que informar o blogger que te nomeou da nomeação e fornecer-lhe o link para ver todos os detalhes;
Caso aceites o Liebster Award, comenta no blog que te nomeou para o blogger poder ver as respostas às questões.



As perguntas que a Patrícia nos colocou:


De onde surgiu o nome?

Nós queriamos um nome misterioso e que chamasse à atenção. Então, fizemos uma lista de nomes e escolhemos o que mais gostávamos.

 Como conheceu a blogosfera?

Sou uma pessoa que lê muito, então quando tive acesso à internet comecei logo a pesquisar sobre as minhas personagens preferidas, o que, obviamente, me levou aos blogues.


 Do que falou no seu primeiro post?

Foi um aviso a dizer quem é que nós somos como bloggers.

 Quais são os Tags/destaques nele?


São uma mistura de histórias da nossa própria, as sugestões de leituras e as nossas reflexões.


 Qual é são os seus Hobbies?

-F: Os meu hobbies conseguem ser um pouco variados. Há vezes em que só corro, outras que só passo a vida inteira a ler e a escrever e outras em que não faço nada.
-Katra: Principalmente ler, escrever e a ver séries.


 O que espera do seu Blog?


Que as pessoas realmente gostem dele, que se torne útil para alguém como alguns blogs são para nós.


Qual é o maior desafio no seu blog?
 
Como ainda andamos a estudar, é postar coisas novas com regularidade.


 Se pudesse mudar algo em si o que seria?

-F: Talvez algo na minha personalidade.
-Katra: Não mudava nada, esta sou eu com defeitos e tudo. Sem eles não seria a mesma pessoa.



 Se pudesse ser algo na vida o que seria?


-F: Um tigre branco por causa do seu vigor e força! Além de ser, simplesmente lindo!
-Katra: Adorava ser escritora, mas tenho  que ser realista. Em Portugak nenhum sobrevive só de escrita.


 Qual é o seu maior sonho?

-F: Tal como a minha colega, é ser escritora, além de antropologa forense.
-Katra: Casar, ter uma família e que os meus livros sejam um sucesso.


O que achaste da tua nomeação?

Simplesmente resume-se a duas palavras: muito obrigado!


Os blogs que iremos nomear:

Blog da AR
be yourself
Bloguinhas Paradise
Compartilhando Tempo


As nossas perguntas:

De onde veio o nome?
Porque criaram o vosso blog?
De onde veio a ideia?
O que fala o blog?
Qual é a reação das pessoas ao seu blog?
À quanto tempo estão presentes na blogosfera?
Identifica-se com algum blogger?
Está satisfeito(a) com o seu blog?
Quais as maiores dificuldades que já passou?
Qual é a caraterística, na sua opinião, mais visivél em si?
O que achou da nomiação?


-F e -Katra

sábado, 9 de agosto de 2014

Aviso

Olá leitores, é só para avisar que da minha parte, nas próximas três semanas não vai haver posts. Vou de férias e não vou ter internet. Mesmo assim, peço-vos que continuem a dar a vossa opinião nos comentários ou então mandem a opinião pelo nosso e-mail :)
Já agora, como não custa nada, visitem os seguintes blogs:Love Peace and Write
>Bloguinhas Paradise
Leituras do Fiacha - O Corvo Negro

Boas férias e beijos


-F

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Loucura

Caros leitores secretos, esta reflexão é capaz de não fazer sentido em nada mas, mesmo assim, era simpático dizerem-me o que acham (mesmo que seja para dizerem que não tem sentido nenhum) :)





Como será a loucura? Terá sabor? Será azeda? Ou será doce por simplesmente, em alguns momentos, sermos felizes? Não paranóicos, mas sim FELIZES!
Quem nunca sentiu aquela loucura compulsiva para ver ou fazer algo? Por exemplo, no meu caso, neste exato momento, estou a ver o episódio 10 da terceira temporada da série The Walking Dead  enquanto faltam dezanove minutos para acabar e, ao mesmo tempo, estou a escrever este insano post. Simé insano porque não tem lógica nenhuma e porque não consegui controlar em NÃO o escrever.
Este post é capaz de ter sido estúpido, mas o que fazer?
Já sei! Continuar com isto por mais umas quantas linhas!
Loucura... O que é para vocês a loucura? Não ir ao facebook ver as notificações e/ou jogar uns quantos jogos de lá? Não ouvir música durante um dia? Não ter o um livro para devorar com a nossa mente e desejar que nunca mais acabe?
Por todos os pensamentos que temos, serão os que chamamos de loucos os verdadeiros loucos ou seremos nós? Devemos ser nós, pois tentámos esconder o nosso verdadeiro "eu".Mostrámos sempre a face mais bela, nunca queremos mostrar o lado verdadeiro! Errámos e não admitimos. Sim, somos completamente doidos...

O que é para vocês a verdadeira loucura? :)

-F 

Divergente de Veronica Roth (livro 1)

Boa tarde :)
Juro que a minha ideia era a de publicar mais, o grande problema é que não tenho tido tempo, ando a trabalhar. Chego a casa cansada. Por isso, peço imensa desculpa e aproveitem da nova sugestão ;)


Editor: Porto Editora
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 352
ISBN: 978-972-0-04381-8



Sinopse: Na cidade distópica de Beatrice Prior, a sociedade está dividida em cinco fações, cada uma delas destinada a cultivar uma virtude específica: Cândidos (a sinceridade), Abnegados (o altruísmo), Intrépidos (a coragem), Cordiais (a amizade) e Eruditas (a inteligência). Numa cerimónia anual, todos os jovens de 16 anos devem decidir a fação a que irão pertencer para o resto das suas vidas. Para Beatrice, a escolha é entre ficar com a sua família... e ser quem realmente é. A sua decisão irá surpreender todos, inclusive a própria jovem.
Durante o competitivo processo de iniciação que se segue, Beatrice decide mudar o nome para Tris e procura descobrir quem são os seus verdadeiros amigos, ao mesmo tempo que se enamora por um rapaz misterioso, que umas vezes a fascina e outras a enfurece. No entanto, Tris também tem um segredo, que nunca contou a ninguém porque poderia colocar a sua vida em perigo. Quando descobre um conflito que ameaça devastar a aparentemente perfeita sociedade em que vive, percebe que o seu segredo pode ser a chave para salvar aqueles que ama... ou acabar por destruí-la.


Críticas de imprensa:
 "Maravilhoso, perigoso e enérgico, com uma história de amor a que não consegui resistir!"
Becca Fitzpatrick, autora da saga hush, hush


"Não vai conseguir dormir ao ler este livro, um romance que é uma autêntica montanha-russa."
BookPage


"Uma viagem memorável e imprevisível que é impossível ignorar."
Publishers Weekly
                                                               Veronica Roth:


Veronica Roth estudou Escrita Criativa na Northwestern University. Nos seus tempos de faculdade, preferiu dedicar-se a escrever o que viria a ser a sua primeira obra, Divergente, e deixar de lado os trabalhos de casa – uma escolha que acabou por transformar totalmente a sua vida. Veronica Roth foi considerada a melhor autora pelo GoodReads Choice Awards em 2012. Divergente foi eleito o melhor livro de 2011 e Insurgente o melhor livro de fantasia para jovens-adultos em 2012, pela mesma entidade, a única cujas distinções são atribuídas exclusivamente pelos leitores.



                                                            Trailer do filme:



    
Ainda não li nem vi o filme! Estou ansiosa! 


-F     

sexta-feira, 1 de agosto de 2014


Boa noite meus caros leitores secretos :)
Quero agradecer à Patrícia Ferreira (a autora do blog Love Peace and Write) o apoio que nos dá.
Além disso, queria pedir um tema para falar aqui. Um tema que queiram ver debatido. Meu povo, sugiram algo, por favor.



-F

terça-feira, 22 de julho de 2014

Abaddon de Rui Madureira

 
Editor: Edium Editores
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 597
ISBN: 9789897011108
      

   Sinopse:      Sedento de poder e cegado pelo seu próprio orgulho, Lucifer - o primeiro anjo criado por Deus e o mais belo de toda a estirpe celestial - decide rebelar-se contra o Pai divino após a misteriosa e muito polémica criação do Homem. Persuadindo uma enormíssima falange de anjos guerreiros com as suas ideias de revolta e usurpação do trono divino, o primogénito dos anjos avança sobre as muralhas do imponente palácio de Deus com um vasto exército de anjos rebeldes nas suas costas. Porém, travado pelas brilhantes tácticas defensivas dos Arcanjos Michael, Gabriel, Raphael e Uriel, Lucifer acaba por tombar e ver os seus desígnios megalómanos cortados pela raiz, sendo aprisionado no Inferno para toda a eternidade conjuntamente com os seus seguidores. Os milénios passam, mas nem por isso o revoltado Príncipe dos anjos esquece a sua sede de vingança. Pretendendo desforrar-se do ser humano e do Pai que o deserdou, começa desde logo a arquitectar uma invasão ao reino do Homem com a ajuda do demónio Abaddon, a única criatura capaz de despoletar o Apocalipse em solo terrestre. E como tentativa desesperada de evitar o fim do mundo, Deus envia o Arcanjo Gabriel à Terra com a incumbência de liderar uma legião de guerreiros celestiais capaz de fazer frente ao Diabo e às suas hostes de monstros oriundos do Abismo. Poderá o Homem salvar-se no seu maior momento de provação? Ou sucumbirá para sempre ante as trevas orquestradas pelo colérico Rei do Inferno?


Breve opinião:

    Quando se começa a ler este romance de Rui Madureira ficamos completamente encantados com a maneira que o autor escreve e descreve tudo à volta das personagens. O romance está muito bem pensado, todas as ações interligam-se na perfeição. É uma leitura fácil, apesar do número de páginas que tem. O amor do autor pelo fantástico faz com que desperte o mesmo amor em nós. Quem ler Abaddon vai apaixonar-se completamente pelo sobrenatural! :3


                                                              Rui Madureira:

    Rui Madureira nasceu a 13 de Dezembro de 1985, uma sexta-feira treze que terá alimentado a enorme paixão que nutre pelo fantástico.
    Formou-se em Psicologia na Universidade do Porto. O cinema e a literatura, porém, foram desde sempre as suas grandes paixões. Foi colaborador da SciFiWorld Portugal e do Círculo de Críticos Online Portugueses. Atualmente escreve críticas de cinema para o Portal Cinema e textos de opinião para o jornal Maia Hoje, tendo algumas das suas críticas cinematográficas sido publicadas em revistas como a Première e a Fórum Estudante.
    Em 2013, foi membro do Júri da Secção Oficial de Cinema Fantástico do Fantasporto.
    Abaddon é o seu primeiro romance. Não será o único. Rui Madureira já está a pensar no segundo e é baseado num argumento cinematográfico que também escreveu.


Entrevista ao autor pelo blog Morrighan: http://www.branmorrighan.com/2012/11/entrevista-rui-madureira-escritor.html



-F
                                                   

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Anjo Caído de Lauren Kate

 
 
Editor: Editorial Planeta
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 328
ISBN: 9789896571252
 
Sinopse: Existe qualquer coisa de dolorosamente familiar em Daniel Grigori. Misterioso e distante, prende a atenção de Luce Price logo que o vê no primeiro dia de aulas no internato Sword & Cross, em Savannah. É a única coisa boa num lugar onde os telemóveis são proibidos, os outros estudantes são tramados e as câmaras de segurança vigiam todos os movimentos. Excepto uma coisa: Daniel não quer ter nada a ver com Luce e faz o possível para tornar isso muito claro. Mas ela não consegue desistir. Atraída para ele como uma borboleta para uma chama, Luce tem de descobrir o que Daniel, desesperado, tenta manter em segredo… mesmo que a mate. Perigoso, excitante e sombriamente romântico, Anjo Caído é uma apaixonante e perfeita história de amor.
 
 
 
Lauren Kate:
 


Lauren Kate cresceu em Dallas e começou a escrever em Nova Iorque. É autora de The Betrayal of Natalie Hargrove e vive neste momento em Los Angeles.


Website oficial:  http://laurenkatebooks.net/



-F

quarta-feira, 16 de julho de 2014

O Teorema de Katherine de John Green

Editor: Edições Asa
Edição/reimpressão:2014
Páginas: 272
ISBN: 9789892326337
 
Sinopse: Dezanove foram as vezes que Colin se apaixonou.
Das dezanove vezes a rapariga chamava-se Katherine.
Não Katie ou Kat, Kittie ou Cathy, e especialmente não Catherine, mas KATHERINE.
E das dezanove vezes, levou com os pés.
Desde que tinha idade suficiente para se sentir atraído por uma rapariga, Colin, ex-menino prodígio, talvez génio matemático, talvez não, doido por anagramas, saiu com dezanove Katherines. E todas o deixaram. Então ele decide inventar um teorema que prevê o resultado de qualquer relacionamento amoroso. E evitar, se possível, ter o coração novamente destroçado. Tudo isso no curso de um verão glorioso passado com o seu amigo Hassan a descobrir novos lugares, pessoas estranhas de todas as idades e raparigas especiais que têm a grande vantagem de não se chamarem Katherine.
 
 
 
 
John Green:

John Green é autor de vários bestsellers do The New York Times. Recebeu o Michael L. Printz Award e o Edgar Award. Foi por duas vezes finalista do L. A. Times Book Prize. Os seus livros foram traduzidos em mais de vinte línguas. John é também o cocriador, com o seu irmão Hank, do vlogbrothers, uma série de vídeos on-line que já foram visionados mais de 100 milhões de vezes.



                                                                                                                                                -F

terça-feira, 15 de julho de 2014

O Encantador de anjos de Kyle Gray

Boa tarde caros leitores secretos. Acabei de criar um cantinho para dar a conhecer novos livros. Este cantinho vai ter a denominação de Sugestões.  Quem quiser dar sugestões ou dar a sua opinião é só enviar para o nosso e-mail (leiturassecretas@gmail.com).  



                                                        Estou ansiosa para ler este livro ^-^
                  Editor: Pergaminho
                  Edição/reimpressão: 2014
                  Páginas: 208
                  ISBN: 9789896872304

Sinopse: Kyle Gray tem um dom. Desde os quatro anos que é abençoado com a presença dos anjos: consegue vê-los, ouvi-los e comunicar com eles. Foi graças à presença dos anjos na sua vida que conseguiu desenvolver os seus talentos e tornar-se o médium mais novo de Inglaterra, aos 16 anos. Neste livro intensamente pessoal, Kyle leva os leitores numa viagem emocionante e inspiradora pelo mundo dos anjos, e partilha a comovente história de como começou a comunicar com o Além, depois da morte da sua querida avó. Esta comunicação tornar-se-ia a sua vocação e o seu destino, e Kyle, hoje em dia, é conhecido pela incrível precisão das suas leituras mediúnicas e espíritas. Ao longo destas páginas, partilha também com o leitor: • Histórias verdadeiras de pessoas que Kyle ajudou, canalizando mensagens dos seus entes queridos;• Conselhos para comunicar com os espíritos; • Palavras de sabedoria dos anjos que irão mudar a maneira como encara a vida, a morte e o amor. O Encantador de Anjos é uma verdadeira dádiva dos céus, que lhe permitirá aceder a um nível mais elevado de ligação espiritual e usufruir ao máximo da presença das energias divinas na sua vida.



                                                                                                                                              -F



quinta-feira, 3 de julho de 2014

Um desabafo...

É apenas algo que me apeteceu escrever....
Não é como eu vejo o amor... Ainda não tive nenhuma desilusão amorosa para algo tão amargo...
Espero que gostem... :)


Amor!
O que fazer quando amamos alguém que não nos ama? O que fazer com o sentimento de rejeição que resulta disso?
Amar alguém é algo inútil, sem sentido que só serve para nos magoar.               A realidade é que se eu própria não amasse alguém, não acreditaria que o amor existe.
Paixão! Desejo! Estes sim são fáceis de entender, é algo instintivo, não exige compromisso e partilha da nossa alma. Uma pessoa que desejes não te pode nunca magoar pois não lhe deste esse poder.
Quando se ama existe a tendência de partilhar todo sobre nós incluindo os nossos pontos fracos e assim tornámos-nos vulneráveis à pessoa amada. Mas este não é o maior problema, o maior problema é que ao amarmos tornámos-nos também cegos perante os defeitos da pessoa amada, pelo menos no início.
Como podemos então confiar em quem amamos?
Eu aprendi da pior maneira que não podemos.
Tem muito cuidado a quem vais entregar o teu coração, pode não ser o príncipe encantado que esperaste a tua vida toda…
                                                                              - De alguém desiludido.



Comentem nem que seja para dizer que esta horrível!!!
-Katra

terça-feira, 1 de julho de 2014

A magia do Natal!! - Parte 4

Ola! Estou de volta!!
Eu sei, eu sei!! Demorei muito tempo mas foi um tempo bastante complicado para mim estive em época de exames e empanquei numa parte do conto e não conseguia sair de lá espero que gostem  e até à próxima parte. :)
Beijos.


- Nunca mais se atreva a falar assim da minha mãe. – Ele está realmente furioso levanta-se da cadeira de repente fazendo com que esta caía no chão com um estrondo que me faz estremecer. Os punhos dele estão cerrados ao longo do corpo e a sua cara está vermelha de fúria.
Olho para ele, receosa que perca o controlo e acabe por fazer algo que não deva, como tentar bater na minha mãe, que apesar de não ser a melhor pessoa do mundo continua a ser a minha mãe. Percebo que a minha irmã está de olhos arregalados a olhar para Christopher e com uma expressão que, suponho, é igual à minha.
- Oh! Claro que não! – Ironiza ela, as palavras saem-lhe um pouco enroladas por causa de todo o álcool que já tinha ingerido. Este comentário só piora ainda mais o estado de fúria de Christopher que, felizmente, saí pela porta fora em vez de tentar argumentar contra ela.
- É exatamente igual à mãe. – Comenta a minha mãe com asco na voz. – Um inútil!
 - Já chega! – Digo com firmeza.
- Tu também és uma inútil! – Diz, agora com raiva. – Porquê que deixaste este homem entrar em nossa casa? – A palavra “homem” foi prenunciada com ironia.
- Porque ele é meu pai e pai da Mimi.
- Tu e a tua irmã deixaram de ter pai à 14 anos. – Diz com clareza demais para quem estava bêbeda.
- O facto de o teres abandonado não altera o facto de ele ser nosso pai. – Digo calmamente pois sei que se me alterar ela vai usar isso contra mim, como sempre faz. Percebo que o meu pai está farto daquela discussão quando o ouço intervir:
- Eu tenho todo o direito de estar aqui! Podes ter impedido de ver as minhas filhas até agora mas não podes mais. A Marie já é maior de idade portanto já pode escolher se quer falar comigo ou não. Sobre a Mimi falamos depois de eu vir de almoçar. – Responde o meu pai. Levanta-se da cadeira e sai da casa, não olha nem uma vez para traz para verificar se estamos atrás dele e percebo que este é o momento que ele nos está a dar para escolhermos entre ficarmos com ele ou com a nossa mãe. Hesito um momento mas esse momento passa rapidamente. Se eu não for com ele a minha irmã não irá sozinha e eu não posso deixar que ela continue com esta vida. Levanto-me da minha cadeira, estendo a mão para Mimi que de imediato a alcança e saímos da casa.
 Christopher esta do lado de fora encostado as grades da escadaria à nossa espera.
- Desculpa. – Digo envergonhada.
- Pelo quê?
- Pelo que a minha mãe disse da tua. – Esclareço.
- Não és tu que tens um pedido de desculpas a fazer. – Diz. Posso notar que um pouco da raiva anterior volta-lhe para a voz e rapidamente me arrependo de ter voltado ao mesmo assunto. – Vamos?
- Sim. – Descemos as escadas e entramos num Mercedes alugado que esta parado a entrada do nosso prédio.
O meu pai leva-nos a comer ao restaurante mais caro em que eu já tinha estado. Não. Não pensem que é um de cinco estrelas em que os famosos comem. Na verdade, era bastante simples, mas uma vez que o único sítio que eu já tinha ido comer sem ser na minha casa e na escola foi o McDonald’s, então qualquer sítio parecia maravilhoso.
Durante todo o jantar eu, a minha irmã e o meu pai com partilhamos várias coisas sobre a nossa vida atual: momentos engraçados que tenhamos vivido, a nossa rotina, experiências não tão boas… Christopher quase não falou durante a refeição, acho que nos estava a dar tempo para nos atualizarmos uns com os outros, não que fosse possível recuperar 14 anos das nossas vidas em apenas umas horas mas nós tentámos porque queríamos que fosse possível.
No final do almoço o meu pai diz:
- Eu e a Mimi vamos falar com a vossa mãe. Tu e o Chris dêem uma volta por ai. Quando for para ir embora eu ligo-vos.
- Não, pai. Eu vou com vocês! – Digo.
- É melhor se apenas eu e a tua irmã formos, quanto mais gente for falar com a tua mãe mais espetáculo ela dá e eu preciso que ela aceite que eu fique com a guarda da tua irmã. – Explica. Olho-o sética.
- Como é que esperas fazer esse milagre?
- Eu tenho alguns argumentos bastante convincentes dos quais a tua mãe ainda não pensou. – Diz sorrindo levemente para mim. Lentamente começo a acreditar que, dentro de pouco tempo, tudo vai ficar bem. A minha irmã vai ter as oportunidades que eu não tive e eu vou ter oportunidades de fazer coisas que já tinha desistido de imaginar que algum dia faria.
- Pai?
- Sim?
- Realmente trais-te a mãe com a mãe do Christopher? – Sinto Christopher ficar tenso ao meu lado mas tento ignorar, eu preciso da resposta àquela pergunta porque que a imagem que eu tenho do meu pai não corresponde à de alguém capaz de trair mesmo que amasse muito a mãe de Christopher.
- Não. – Responde e eu sinto-me mais aliviada do que estava preparada para admitir e sinto Christopher relaxar. – Eu já a amava mas nós não nos envolvemos antes de eu e a tua mãe estarmos oficialmente divorciados.
- Então porquê que a mãe acha que sim? – Pergunta Mimi.
- Não sei. – Diz suspirando. – A vossa mãe sempre foi uma mulher muito ciumenta. Vocês não se lembram mas a Margarida ficou viúva dois dias depois de o Christopher nascer. – Conta ele com um olhar distante, aquele olhar que toda a gente tem quando se lembra do passado. – Ela era mulher do meu melhor amigo e eu sempre pensei que ele tinha muita sorte por se ter casado com ela pois é uma grande mulher. Um dia, quando eu e a vossa mãe já namorávamos a mais de um ano, cometi o erro de revelar estes pensamentos à vossa mãe. – Continua ele com um sorriso amargo. – Ela nunca mais falou com a Margarida como antes, uma vez, chegou mesmo a trata-la mal.
Eu e a minha irmã olhamos uma para a outra desgostosas com as atitudes da nossa mãe.

- Depois de o marido ter morrido, eu e a vossa mãe, por insistência minha, começamos a visitar Margarida com maior frequência. A partir desse momento o ciúme da vossa mãe tornou-se impossível de aguentar mas eu continuei com ela pois achava que a amava. Pouco a pouco comecei a passar mais tempo com Margarida do que com a vossa mãe, o que deixava mais tempo para a vossa mãe pensar e ouvir a vossa avó que adorava meter bichinhos na cabeça dela para que ela fosse embora. A vossa avó sempre odiou a vossa mãe. Isabel não era de uma família rica como a minha mãe queria que eu casa-se. E provavelmente foi ela que, finalmente, conseguiu convencer a vossa mãe de que eu tinha um caso com Margarida.



Comentem por favor!!!! =D
- Katra

sábado, 31 de maio de 2014

Desvaneios?

Acho que não tenho nada a comentar sobre este assunto. Só escrevi o que me veio à cabeça... Leitores, a distância não é NADA!

Uma música para acompanhar na leitura:


Como irei começar isto? Por um simples olá? Neste momento, tenho necessidade de te atingir com umas simples palavras. Quero brincar, tal como tu brincaste. Mas, meu caro amigo, a minha brincadeira não é uma qualquer. É um desabafo.  

Sabes, nesta vida há duas fases, o Antes e o Depois. O Antes baseia-se nos sentimentos bons de tudo o que já sentimos. Baseia-se naquela pequena esperança de um dia poder a vir ser muito feliz.  O Depois… Ó o Depois! É criado após as lembranças e esperanças de algo alegre que nos ilumina a vida, é aquele trago amargo de coisas por dizer e fazer ou por acontecimentos desprezáveis – só para não dizer, de maneira direta, tristes.

Acho que estás lá no meio. Ainda não sei como te definir nesta curta vida. Talvez como alguém que já me apoiou e me fez feliz?

Considero-me, pessoalmente, uma pessoa um pouco irracional e fria neste assunto da vida. Não quero chorar… Não me apetece fazê-lo! Será um desperdício de energia e tempo! Por isso, como sempre, a minha dor e raiva vai-se acumulando até um dia em que a rolha, desta grande garrafa, arrebente. Aí, vão ser dias terríveis. Vou andar mal disposta e a chorar pelos cantos como uma pequena adolescente indefesa. Vou só querer um abraço amigo de alguém que me apoie e diga “está tudo bem, isso passa logo”, mas, para não variar muito, vou afastar a pessoa e dizer-lhe que estou ótima! Vou dizer-lhe que é apenas o cansaço. Vou assegurá-la que não precisa de se preocupar comigo. Que é só um momento de cedência para o lado negro da vida. Sei que depois de assegurar a pessoa que está tudo normal, vou ter de entrar naquela rotina de alegria. Vou sorrir e rir. Nem que doa a alma. Aos poucos vou voltar ao Antes. Vou voltar a ser aquela adolescente alegre e respondona. Sei que vou voltar ao normal! Talvez isto tudo não passe de desvaneios…


P.S: “A distância fere-me muito”, não é a distância, é as pessoas. Nunca deixem dizer que é a distância, porque a distância não tem culpa das ações das pessoas.
                                                                                            -De alguém com problemas.
                                                                                                                       -F